segunda-feira, 5 de março de 2012

Volto a bater na tecla do "estar sozinho numa multidão é o pior sentimento de sempre". É como se existisse uma parede proverbial entre nós e o resto do mundo, parede essa, à prova de som, opaca e provavelmente à prova de bala também. Somos os estranhos numa terra de estrangeiros ou uma pedra no meio da água. 

Sem comentários:

Enviar um comentário